Amaranto versus Quinoa



O amaranto é originário dos andes e apresenta em torno de 10% mais proteínas que os cereais em geral. É rico em cálcio, potássio e ferro, magnésio, zinco e selênio.  Apresenta uma substância chamada de esqualeno, que só é encontrada em peixes e é altamente antioxidante. Pode ser ingerido no leite, iogurtes, vitaminas e saladas.


Hoje em dia há vários tipos de grãos: preto, vermelho e branco de acordo com a época da colheita. Utilizado pelos incas e astecas é um grão integral e foi selecionado para alimentação dos tripulantes de viagens espaciais da NASA. Tem ausência de glúten e pode ser utilizado para aumento de massa muscular em pessoas debilitadas.


A quinoa é originária dos andes e é utilizada também como alimento na NASA. É rica em ômega 3 e 6 e é fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico. É muito utilizada na Bolívia. Pode ser consumida em grãos ou em forma de farinha e é riquíssima em aminoácidos como: glicina, prolina, lisina, histidina e ácido glutâmico. Rica também em vitamina B, cálcio, magnésio, ferro, zinco, cobre e manganês. Auxilia no emagrecimento pois é fonte de fibra natural mas também é rica em triptofano, o formador de serotonina. A serotonina é a substância que está em déficit no cérebro quando se tem compulsão por ingestão de doces. Há redução de colesterol com seu uso contínuo.














líbero+

Copyright © Dieta Ortomolecular - Dra. Sylvana Braga - Todos os direitos reservados